Românico entre Tâmega e Douro



Após termos levado um verdadeiro empeno na nossa primeira investida à Serra da Boneca por má realização do trabalho de casa e completo desconhecimento do diverso relevo da mesma, optamos por desta vez encontrar algo que nos desse a garantia de conseguirmos ciclar por lá. A oportunidade surgiu numa leitura ao blog Daniel Cardoso, a quem agradecemos desde já as dicas, onde podemos verificar que aproveitando o desenho da 1ª Etapa do Circuito N-GPS de 2012 – Rota do Românico fez passeio arrancando até Penafiel e fazendo aí todo o percurso do N-GPS. A nossa intenção não era tão audaz, pois optamos por chegar a Penafiel por comboio e voltar depois de bicicleta a casa. A manhã acabou por alterar um pouco o projectado e desde a perca do comboio em Caniços até termos seguido à Trofa para conseguir alternativa o passeio acabou por começar por volta das 10h, tínhamos já alguma condicionante, mas a intenção permaneceu e arrancamos no traçado com passagem para começar pelo Santuário do Sameiro, não o “nosso” de Braga mas sim o de Penafiel. Após termos passado por debaixo da Variante Cavalum entramos num Trilho de vegetação intensa bem bonito que nos levou até ao Dolmen de Santa Marta, belo registo este. Seguimos até Perafita por entre o intenso maciço granítico do alto da cabeça. Surgia a necessidade de reforçarmos com algumas energias extras e a pedido de “várias famílias” fizemos a devida paragem na nossa conquista geodésica do dia a Pirâmide 1 de Luzim nos 549 metros, a vista aqui era panorâmica e o vento intenso, acabamos por conseguir graças à grandeza do geodésico abrigar-mo-nos e reforçar-mo-nos. Começamos agora a descida com passagem por Outeiral, Quintela e Louredo e rapidamente chegamos a Abragão onde podemos ao longe avistar o Tâmega. Algumas descidas às margens do rio, nomeadamente; Parque Fluvial de Boelhe; Praia Fluvial de Rio de Moinhos e Parque Fluvial de Novelhos foram um autêntico rompe pernas. A passagem por Alvarão deixou-nos observar do alto as Pontes de Entre os Rios. Fizemos uma descida até ás margens do Douro e depois subida até Canelas para reencontrarmos o percurso. Esta subida até Canelas e depois ligando à nacional 319 será engraçada para quem gosta da roda fina. Nós no caso foi de grossa e retomamos o percurso logo em Canelas com direcção à Serra da Boneca. Subir à Boneca por este lado é muito diferente da nossa primeira opção, sendo que esta de grande declive é sempre ciclável. Tendo em conta que o “S” feito com Cabroelo pelo meio já era por nós conhecido em certas ocasiões e porque a atraso matinal empurrava o passeio já para final da tarde optamos por seguir para a Estação de Caminhos de Ferro de Ricarei onde de comboio regressamos desta vez até Esmeriz (VN Famalição).
Mesmo não completando o projectado demos o passeio como bem realizado e de magnífica beleza. A parte das naturais fotos destes eventos foi ensaiada pelo Fernando a Rollei Bullet HD que nos proporcionou um pequeno registo que podem ver aqui

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Caminho Português Interior de Santiago - Chaves -> Santiago de Compostela

Caminho de Santiago - Pela Geira e Via da Prata