GEO BIKE CHALLENGE - Arouca


Tendo em conta que o espírito das etapas do Circuito NGPS se identificam com a nossa forma de estar nesta actividade de lazer, optamos por neste ano de 2013 participar em algumas. Esta primeira etapa em Arouca com Serra da Freita e Serra de São Macário como montra do evento não nos podia deixar indiferentes.
A deslocação para Arouca exigia uma muito matinal saída de Delães, e assim aconteceu, por volta das 6 horas da manhã arrancamos para que, tal como aconteceu, começássemos esta aventura por volta das 8 horas. Junto aos quatro Pinocos seguiram também o Miguel e o Pessegueiro, mais tarde já no desenrolar da viajem juntou-se o Carlos (boa equipa de formou!).
Por entre forte neblina começamos o "esquecimento" dos primeiros 20 kms, passando por Santa Maria do Monte, Ameixeira, Merujal e primeiro emblemático local deste passeio a Frecha da Mizarela (queda de água no Rio Caima com cerca de 60 metros). Após esta primeira paragem com verificação mais exaustiva da paisagem continuávamos na subida e por Albergaria da Serra chegaríamos ao grande planalto da serra. Podemos verificar também a particularidade da textura do Penedo das Broas antes de chegarmos à Casa de Abrigo do Vidoeiro. A temperatura era no momento muito agreste mas a neblina tinha já desaparecido e era-nos possível observar tudo o que nos rodeava. Após intensa subida tínhamos agora aquilo que rapidamente podemos verificar que seria um doce envenenado pois iríamos descer muito para logo subir certamente. A descida até Covelo deixou para trás, Tebilhão, Cabreiros e Candal. Seguiamos para nordeste da Serra da Freita e ficamos com menos um elemento pois o amigo Carlos por outros compromissos forçou a retorno a Arouca por Cortegaça saindo na Fuga 1. Despedidas feitas tomávamos direcção a Regoufe,  aqui tínhamos várias indicações que em breve atingiríamos Drave, a aldeia perdida na cova entre a Serra da Freita e a de São Macário. A chegada à Aldeia de Drave foi sem duvida o momento alto do passeio, pela imponência da paisagem pelo carisma do local, o facto de lhe chamarem Aldeia Mágica diz tudo. Foi este o local por nós aproveitado para maior pausa do dia para reforçarmos energias, desta vez éramos surpreendidos pelos amigos Miguel e Pessegueiro que nas margens de um ribeiro do Rio da Drave, ou no próprio, reforçavam-se com massa e lasanha.
Tínhamos feito já a primeira metade do percurso e a saída de Drave era feita por uma parede impossível de ciclar na parte inicial. Chegados novamente perto da quota dos 1000 metros optamos na maioria por atravessar a Serra da Arada pela Fuga 2 até Covas do Monte, os dois duros Miguel e Pessegueiro foram ao alto de São Macário. Depois de passarmos a Deilão chegamos a Meitriz e até Janarde fomos seguindo pelas margens do Rio Paiva. Em Ponte de Telhe fizemos travessia por ponte sobre o Rio Paivô. A tarde aproximava-se agora do seu final e a velocidade cruzeiro pela municipal 510 regressávamos a Arouca.
Dever cumprido, um porto na chegada com bolo, banho tomado, posta à Arouquesa degustada, voltávamos a casa deliciados e cansados. 


1 comentário

Mensagens populares deste blogue

Caminho Português Interior de Santiago - Chaves -> Santiago de Compostela

Caminho de Santiago - Pela Geira e Via da Prata