Srª da Graça - Alvão - Fisgas

Esta é uma crónica que começa pelo fim “…e foi muito bom, mesmo!!!”

Eram 6h do dia 7 de Março quando acordei para um épico (desde já queria agradecer à minha empresa que fez ponte de carnaval, mais tarde reparei que não fui o único da empresa a visitar tais “paragens”), mas como ia eu a dizer, era muito cedo já eu mexia lá em casa, 6:20 lá chegou a minha boleia, carreguei a bike (a SS por sinal) e lá fomos nós…
Comecei a pedalar em Mondim de Basto junto ás piscinas municipais eram 8h, eu e mais três duros , o Artur o Nuno e o Penouço, rumo ao cimo do monte farinha, a subida durou e durou, mas como eu ia de SS não tinha nada a temer (lol), recordo que já li sobre a Srª da Graça, e nunca soube de nenhum amigo do pedal que o tenha feito de SS, roda29 claro, foram 12 km sempre a subir dos 200mt de altitude até aos 920mt, lá no topo a vista é magnifica e o santuário da “Lady of the Grace” é algo singular, sossegado e imponente.

Já o relógio marcava 10h e começávamos a “cheirar” os trilhos em terra, a paisagem era magnífica, pedalavamos na companhia de garranos e um fato, o trilho deu para relaxar e por a conversa em ordem, por cima do ombro ia vendo ao fundo a Srª da Graça, até que chegamos junto de uma povoação “Macieira” de seu nome. A partir daqui lá fomos nós a subir até ao Alvão, não sem antes comer umas laranjas e uns chocolates para depois e como não podia faltar a parte do adubo…

Já na planície podemos avistar alguma neve, o vento claro era frio, também não esperávamos outra coisa, visto que se juntavam ali dois factores para que tal acontecesse, neve e ventoinhas…aproveitamos para almoçar, pic-nic em grande, até tivemos direito a bolo (Nuno a tua esposa está de parabéns). No fim do manjar dos “duros” rumamos ao ponto mais alto do épico (1320mt) Caravelas do Alvão, a vista aqui é magnífica ao longe já se via uma enorme lagoa era a Barragem da Cimeira.

Passada a Barragem rumamos a Lamas de Olo, recordo uma ponte em pedra muito bonita que proporcionou boas fotos, e nessa zona apanhamos uma PR que nos levou até à aldeia de Barreiro, aldeia esta com casas em pedra, algumas já destruídas outras mais bem conservadas mas um local único muito calmo (põe calmo nisso). Daqui até Varzigueto íamos borrando a pintura pois o GPS passou-se, mas nada que não se resolve-se, e fomos nós por um trilho ladeado por pinheiros, muito fixe….em Varzigueto e como dizia o amigo Penouço mais um caminho de cabras, era o acesso a Fisgas Do Ermelo, está zona é simplesmente linda, linda, três vezes linda…mas quando estava eu a fotografar todos contente e vem mais um subida, monto a SS e claro, força que é para subir e pimba, estava a put… armada, a corrente saiu e vou analisar a coisa e reparo um parafuso da pedaleira já era…não estava lá, a coisa empenou um pouco mas nada que um alicate e umas fitosas não resolvessem…mas era o fim, a partir daquele ponto foi encontrar estrada “preta” e voltar a Mondim pois não podia arriscar mais monte, não vá a coisa piorar mecanicamente falando ( lol ).
Fizemos um regresso por estrada e por volta das 18H lá estamos junto aos carros.

Com mais ou menos 77km e 2200 de acumulado (diz o Google earth) e foi….



2 comentários

Mensagens populares deste blogue

Caminho Português Interior de Santiago - Chaves -> Santiago de Compostela

Caminho de Santiago - Pela Geira e Via da Prata