Trilhos do Bolinhol

Há pequenas efemérides que, por ou outro pormenor, gostámos de celebrar e mais tarde recordar. O passeio deste dia tem tudo aquilo que é necessário para recordações futuras, pois foi pródigo em situações engraçadas e invulgares...
O dia não poderia começar de maneira melhor, um aniversariante presenteava a malta com o belo do bolinho de aniversário. O mais parecido ao dito bolinhol que alguma vez se provou! 18 anos, essa mítica e ansiada maioridade que não passa de um número. O lambuzar do bolo foi o suficiente para um pequeno atraso na partida, mas nada de preocupante tendo em conta o que se havia proposto em termos de percurso. Tendo como base, a "Rota do Bolinhol", o percurso foi salteado com pequenos apontamentos da nossa autoria e assim se congeminou um passeio bem engraçado. A primeira ascensão crítica punha em sentido aqueles que vinham desprovidos de mudanças, talvez iludidos com a quilometragem. Após esta, um dos momentos do dia, Operação Stop a tudo que tinha jersey fluorescente. O Sr. Agente da Autoridade da Guarda Nacional Republicana parou o seu lindo automóvel no meio da via pública para nos informar de algo pertinente. "Andar na faixa de rodagem de bicicleta sempre em fila (indiana)!". Logo de manhã, o sentido de humor pode estar ora mais apurado, ora menos, mas achámos piada à interrupção do Agente e seguimos viagem. O trilho estava agradável e mais ficou quando de repente fomos presenteados com singletracks espectaculares, algo que se tornou uma constante em todo o percurso. Mais uns km's e perdíamos 3 elementos, motivados pelos afazeres pessoais, no fundo a velha máxima: "sítios para estar, pessoas para agradar!". Reduzidos em número, mas não em vontade, lá seguimos até darmos com uma quinta pedagógica que possui vários animais (exóticos), onde alguns nem sequer conseguiam ser identificados! O percurso sempre bonito e agradável ia contorcendo-se como que a evitar aqueles trilhos mais conhecidos e a fugir às subidas mais maldosas. Chegados a S. Bento das Pêras, sabíamos que dali era para descer, não sabíamos contudo dos fabulosos trilhos em singletrack. Sempre a grande velocidade e sem grandes fotos, lá chegamos a Vizela, não sem antes passear junto ao rio. Em Vizela,"Sentido Casa", era o pensamento de todos, e assim foi, ainda com um furo pelo caminho e um cumprimento ao amigo Óscar. Certamente que as fotos ou vídeos não conseguiram mostrar o fantástico trilho, mas fica a sugestão!

9 comentários

Mensagens populares deste blogue

Caminho Português Interior de Santiago - Chaves -> Santiago de Compostela

Caminho de Santiago - Pela Geira e Via da Prata