Trilhos de Ferro | Novos Trilhos do Kintal - 5º Episódio

Fim de semana de Páscoa, esse mítico e desejado marco no calendário para viagens ou limpezas, sendo que no nosso caso as viagens só mesmo de bike e limpezas só depois de a sujar... Compromissos de várias ordens, nomeadamente a familiar consequência das festividades, ditaram uma jornada dupla neste sábado, ora...

de manhã:

Trilhos de Ferro

As intermitências do clima fazem-nos vítimas da desconfiança, talvez por isso fossem apenas 2 aqueles que compareceram no ponto de encontro à hora marcada para mais uma pequena aventura. Entre os intervenientes estavam uma SS e um regressado a estas andanças, logo a conversa a pôr em dia seria bastante para os 40km que se desejavam fazer. O percurso não é de todo duro, mas sim belo e agradável, só tem esta conotação mais metálica devido à sua envolvente, mas já lá vamos... O sol aparecia tímido por entre as nuvens e dava um ar da sua graça de quando em vez, qual criança brincalhona. O alcatrão ia suavizando os primeiros km's e foi interrompido por trilhos interessantes e caminhos rurais de rara beleza. A passagem paralela ao rio cruzava por vezes a margem através de pontes históricas. E eis que a envolvente deixa o rio e passa a ser a linha de caminhos de ferro do norte do país. A denominação do percurso vem da constante companhia dos caminhos de ferro acompanhada de trilhos "argilosos" da cor do, lá está, ferro. A igreja de Cabeçudos era o marco geodésico a conquistar e nem uma pequena distracção que custou mais alguns km's, nos demoveu do objectivo. Conquista geodésica efectuada e com a chuva a ameaçar marcar presença, seguimos em direcção a casa sem deixar de percorrer uns trilhos anteriormente visitados. Belo percurso, com dificuldade física e técnica quase inexistente, que deve ser devidamente apreciado!

de tarde:

Novos Trilhos do Kintal - 5º Episódio

A facção da tarde, porém algo arrependida da ausência matinal, lá marcou novo encontro a seguir ao almoço. Fresquinhos e aconchegados lá seguimos em direcção ao Kintal para mais um episódio desta novela. Por vezes, as séries ou novelas apresentam um episódio especial afim de cativar as massas, ora talvez com isso no subconsciente o conta-km marcava 35km ao fim da tarde. A mistura de trilhos com extensões de estrada faziam lembrar um qualquer sábado de manhã, mas a recorrente imagem das famosas limpezas de páscoa pelas ruas do nosso país, lembrava que o percurso não poderia ser assim tão, como dizer, normal. Rapidamente se começou a subir, sempre com olho no relógio e nem as amêndoas tão apreciadas nesta altura ajudavam a transpor o declive. No cimo, refrescados e reabastecidos lá seguimos por entre novos trilhos e sempre a descer. De regresso às ruas e ao ponteiro do relógio, a descida parecia colaborar com os horários a cumprir, nada que impedisse mais uma boa dose de conversa. A chegada parecia controlada e mais um pequeno apontamento no Kintal fica sempre bem, qual cereja em cima do bolo. No final as amêndoas saberão sempre melhor quando polvilhadas com o açúcar da vida, o btt entre amigos!

PS: Os elogios da prosa e do manuseamento do léxico deste que vos escreve é apenas um reconhecimento do objectivo a que se destina todo o esforço, fazer com que quem não esteve presente possa sentir de alguma maneira que esteve lá. Fica o agradecimento, a promessa e a certeza que continuará assim, para vós que tudo mereceis!

1 comentário

Mensagens populares deste blogue

Caminho Português Interior de Santiago - Chaves -> Santiago de Compostela

Caminho de Santiago - Pela Geira e Via da Prata