Trilhos da Perdiz

Não havendo entre nós apreciadores de caça e desconhecendo por completo o calendário cinegético, não admira que tenhamos evitado um tiro de caçadeira por mero acaso, a chamada sorte portanto. Longe estávamos nós de pensar que uma horita depois de iniciar mais um dia de pedalada, haveriam tiros pelo meio de um conquista de marcos geodésico. Meia dúzia de "pinocos" seguidos de perto pelo amigo Nuno, que sempre bem-vindo nos presenteou com a sua presença. O objectivo era simples, limpar dois marcos geodésicos que nunca haviam sido conquistados e que fazem parte do raio de acção mais próximo. Ora estes objectivos nem sempre são fáceis de cumprir, ou por vezes, se o são, trazem sempre algo para dificultar a coisa. O tempo para pedalar não seria muito, mas antes assim, uma vez que o outro tempo, o meteorológico, resolvera dar tréguas e não choveu. Até aqui, nesta crónica mal construída propositadamente, não há novidades, mas deixo já descansados aqueles que anseiam pelas ditas que não há. Foi um dia agradável na companhia de amigos, num passeio em trilhos e em estrada, onde houve metas volantes, troféus de montanha, tiros, dois marcos geodésicos conquistados e em que o importa salientar é: Não choveu!





2 comentários

Mensagens populares deste blogue

Caminho Português Interior de Santiago - Chaves -> Santiago de Compostela

Caminho de Santiago - Pela Geira e Via da Prata